segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Milton Guedes


Se tropeçar meus pés cansados
Nos mares de ti
Cuidar de mim cuidar de ti
As fases e frases
Desfazem nos jeans
Por que é só você que sabe
Aonde surfir
O mais bonito o magnífico
Se teu sorriso esculpe

Solidão ávida nos fez
Apesar de ter
Solidão

Não sei pisar no breque
Tomo charrete
Pros lares de rubis
Pensando nisso
Pensando em ti
Senti felicidade sem fim
Se for passar preciso sarar
É quase inutil
Ficar de ir
Ficar de vir
Ficar feliz isso sim

Solidão ávida nos fez
Apesar de ter


Milton Guedes, Brasíliense, nascido em 4 de junho de 1963, é um cantor e compositor multi-instrumentista brasileiro. Formou sua primeira banda, "Pôr do Sol", aos 18 anos, e tem colaborado com grupos de diferentes estilos musicais. Também compôs varias trilhas sonoras para novelas brasileiras. Antes de se tornar cantor, o compositor adorava andar de skate nas quadras de Brasília e chegou até a ganhar em alguns campeonatos. Entrou no grupo coral Mirim do Sesi, onde aprendeu a tocar flauta doce. Sobre a viola e a harmônica, diferentemente, ele aprendeu a tocar sozinho mas o saxofone foi-lhe ensinado por um vizinho. Com 18 anos se juntou com o seu irmão, Marco Guedes, e outros três amigos ara formar a banda “Pôr do Sol”.

Abaixo o som de Milton Guedes:

2011-Perfil

Paulo Miklos


Risco sinuoso da minha caneta
Me conduzirá, com destreza
Más também descarrego
E algumas falhas de tinta
São palavras de cantar
E as canções que vão surgir

Risco azul no papel como um refúgio
Como se fosse calar
Em minha caneta tem
Toda a saudade que me vem
Nos dias, vazios
Que eu não posso desenhar
Os caminhos de nós dois

Rasura que eu chamo de lar
E não te encontro nesta página apagada
Simplesmente inútil controlar
O que dentro do meu peito transborda
Transborda

Risco azul no papel como um refúgio
Como se fosse calar
Em minha caneta tem
Toda a saudade que me vem
Nos dias, vazios
Que eu não posso desenhar
Os caminhos de nós dois

Rasura que eu chamo de lar
E não te encontro nesta página apagada
Simplesmente inútil controlar
O que dentro do meu peito transborda
Transborda


Paulo Roberto de Souza Miklos nasceu em São Paulo, em 21 de janeiro de 1959. É um músico, ator e apresentador de televisão brasileiro, ex-vocalista da banda de rock Titãs. Em 2001 iniciou a carreira de ator. Em 2011, iniciou a carreira de apresentador de televisão, apresentando o "Paulo Miklos Show" na MixTV, entre 2012 e 2013. 
Seu primeiro contato com a música veio na infância, quando os pais lhe deram um piano e sua avó lhe deu uma flauta doce. Estudou também o piano. Em 1979, participou como arranjador de um festival da extinta TV Tupi, no qual também se apresentaram Arrigo Barnabé e Walter Franco. Chegou a cursar música na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Sem se sentir parte daquele universo de estudantes de conservatório que praticavam desde os seis anos de idade, ele passou um ano visitando a fitoteca da faculdade e copiando seus conteúdos. Também chegou a estudar filosofia na PUC-SP e psicologia em Mogi Mirim. Nos Titãs, Paulo cantava, tocava guitarra e ocasionalmente teclado e saxofone. No dia 11 de julho de 2016, anunciou seu desligamento da banda, com a intenção de se dedicar a projetos individuais. Na época, prometeu percorrer novos caminhos como compositor e intérprete, assim como na carreira de ator.

Vamos ouvir as canções de 2017:


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Adriana Maciel


Eu vou lhe dar a decisão
Botei na balança e você não pesou
Botei na peneira e você não passou
Mora na filosofia pra quê rimar amor e dor
Mora na filosofia pra quê rimar amor e dor

Se seu corpo ficasse marcado
Por lábios ou mãos carinhosas
Eu saberia ora, vai mulher
A quantos você pertencia
Não vou me preocupar em ver
Seu caso não é de ver pra crer
Tá na cara!
Nascida em Brasília, em 27/07/66, a cantora estudou música na Universidade de Brasília e dedicou-se ao canto e à flauta transversa. Em 1986, mudou-se para o Rio de Janeiro, procurando trabalhar com teatro, mas acabou integrando a banda de Oswaldo Montenegro, como backing vocal. Mais tarde, voltou ao teatro, mas fazendo a parte musical, tendo trabalhado com os diretores Luiz Fernando Lobo e Moacyr Góes ("Trilogia Tebana" e "Abelardo e Heloísa"). Com o sucesso de sua participação em "Abelardo e Heloísa", foi chamada para gravar seu primeiro disco, homônimo, em 1997, pelo selo Geléia Geral, produzido por Celso Fonseca. Desse CD, a música "Grama Verde" (Vítor Ramil/ André Gomes) ficou conhecida depois de fazer parte da trilha sonora de uma novela da TV Globo. Além dessa, integravam o repertório composições de Arnaldo Antunes, Péricles Cavalcanti, José Miguel Wisnik, Zé Ramalho e outros. O segundo disco, o independente "Sozinha Minha", foi produzido por Sacha Amback e lançado em 2000 com canções de Chico César, Carlos Careqa, Lobão (a faixa-título), Zeca Baleiro, Chris Braun e outros. Em 2004, lançou o CD chamado Poeira Leve (Deckdisc) com participações vocais de Zeca Baleiro, Moska e Vitor Ramil. Em 2008, lançou o trabalho Dez canções.

Abaixo as canções harmoniosas de Adriana:

2000 - Sozinha Minha

2004-Poeira Leve

sábado, 16 de setembro de 2017

Tacy de Campos


Eu ontem tive um pesadelo
E quando eu acordei
Você estava ao meu lado
Tão bom ser seu pecado

Meus passos em cima do muro
Um risco sem nenhum seguro
Você me deu a mão
E eu fiquei com medo de cair
Preferi me equilibrar na corda bamba
Mas ver você partir
Me encorajou a pular
Do décimo quarto andar

Na calada da noite juro que te ouvi dizer te amo
Será que fui eu quem quis ouvir?
Eu que já fiz tantos planos de fuga
Nos teus braços me prendi
Tudo que eu quero é ter você aqui
Tudo que eu quero é ter você aqui

Nenhum passado passará mais por aqui
E de você eu não pretendo desistir
Mas se eu pudesse dizer
Estranho mesmo seria se eu não me apaixonasse por você




A curitibana Tacy de Campos, de 27 anos, ficou conhecida no Brasil inteiro ao interpretar um dos ícones da MPB, Cássia Eller (1962-2001). Quem assistiu ao musical que conta a trajetória da cantora carioca, morta precocemente aos 39 anos, certamente se impressionou ao ver Tacy em cena. Mas, muito antes de encarnar no palco Cássia Eller, Tacy já mostrava que seu caminho também seria a música. Ela começou a tocar violão aos 15 anos. “Foi muito bacana fazer esse espetáculo, que está entrando em seu terceiro ano. Mas meu negócio é mesmo cantar, tocar e, principalmente, compor. Na verdade, nem considero uma retomada da minha carreira musical, porque nunca a deixei de lado. Para falar a verdade, ser atriz não é muito a minha praia”, afirma. O rock se faz presente, assim como o country, o pop e o blues. Um dos destaques é a música instrumental Fazenda na praia, que mostra o talento de Tacy ao violão. “Boa parte do repertório é recente e tem relação com essa fase carioca da minha vida, já que me mudei para o Rio. Mas há coisas que fiz quando ainda morava em Curitiba. O disco revela muito do que sou, do que gosto. Não deixa de ser o meu manifesto”, diz.

Bora ouvir a ótima voz de Tacy:

2017 - O Manifesto da Canção:

Aneurisma
Babel

Porcas Borboletas


Tem gente que lê Thomas Robbes
tem gente que fuma cannabis
tem gente que hora pra nozes
tem gente que da o forevis

Mais eu não sei
o que fui sou, se serei
vou la, vou cá
vem sendo livre vai vem, viver, tentar




Porcas Borboletas é uma banda e é um bando, que veio de Uberlândia, Minas Gerais, e em 2017 completa 21 anos de história.Desses em que os integrantes chegam a ser confundidos entre si, como fosse cada um a manifestação de uma mesma persona.Se os artistas são confundíveis, a banda é inconfundível. Quem já ouviu e viu o Porcas Borboletas que o diga. Shows arrebatadores, como se cada apresentação fosse a última coisa da vida. Arranjos originais, intercalados a levadas e refrões marcantes. Letras que, para além de poéticas, expressam uma visão de mundo um tanto quanto bizarra: ironia, amor e humor, no calor da madrugada. A banda toca um rock`n`roll cru, com influências diversas desde ritmos latinos, mesclando samba, reggae, bolero e psicodelismo com letras ora bem humoradas ora poéticas, de autoria dos vocalistas Danislau e Enzo Banzo. “Temos influência de Menudo até John Cage. Uma banda com 7 pessoas, fica difícil de falar das influências, cada um tem uma preferência e algumas coisas em comum. Itamar Assumpção é uma influência de todos, a lira paulistana dos anos 80, e coisas como Sérgio Malandro, tropicália, Luiz Caldas e tudo que rola por aí”, comenta Enzo Banzo. 

Se ainda não ouviu, vem curtir comigo:

A Passeio

Momento Intimo

Frejat


Não me atire no mar de solidão 
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos 
Não me retalhe em escândalos 
Nem tão pouco cobre o perdão 
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão 
Que acabou feito um sonho 
Foi o meu inferno, foi o meu descanso 

A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva 
Faz do amor uma história triste 
O bem que você me fez nunca foi real 
Da semente mais rica, nasceram flores do mal 

Não me atire no mar de solidão 
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos 
Não me retalhe em escândalos 
Nem tão pouco cobre o perdão 
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão 
Não me esqueça por tão pouco 
Nem diga adeus por engano 
Mas é sempre assim 
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva 
Faz do amor uma história triste 
O bem que você me fez nunca foi real
 Da semente mais rica, nasceram flores do mal




Roberto Frejat, mais conhecido apenas por Frejat, nasceu no Rio de Janeiro, em 21 de maio de 1962. O cara é completo: canta, compõe e é instrumentista. Ficou muito conhecido por ser um dos fundadores da banda Barão Vermelho e também o principal parceiro de Cazuza em composições. Sua mãe é de origem judaica e seu pai de origem árabe. Frejat gostava de Janis Joplin e Ângela Rô Rô, além de se interessar por MPB e pelo rock brasileiro que na época emergia. Com Cazuza, compartilhava o Barão Vermelho e a afinidade musical. Casado com Alice Pellegatti, tem um filho, Rafael, que também é músico e realiza shows com uma banda solo na qual toca o baixista Frederico Israel, filho do músico George Israel. Pois é...desde 2001 Frejat lançou CD solo, e foi um sucesso. Hoje vou compartilhar com vocês as canções que confirmam o talento desse moço.

Vamos curtir juntos esses sucessos:

Amor Pra Recomecau-(Acustico)

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Tribalistas


Acalmou a tormenta, pereceram
Os que a estes mares ontem se arriscaram
E vivem os que por um amor tremeram
E dos céus os destinos esperaram

Atravessamos o mar Egeu
O barco cheio de fariseus
Com os cubanos, sírios, ciganos
Como romanos sem Coliseu

Atravessamos pro outro lado
No rio vermelho do mar sagrado
Os center shoppings
Superlotados
De retirantes refugiados

You, where are you?

Onde está meu irmão sem irmã
O meu filho sem pai
Minha mãe sem avó
Dando a mão pra ninguém

Sem lugar pra ficar
Os meninos sem paz
Onde estás Meu senhor, onde estás?
Onde estás?

Deus Ó Deus onde estás
Que não respondes
Em que mundo em qu'estrela tu t'escondes
Embuçado nos céus

Há dois mil anos te mandei meu grito
Que embalde desde então corre o infinito
Onde estás senhor Deus?

Where are you?



Em 2002, os parceiros de longa data Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown se juntam e formam o supergrupo  Tribalistas. Foi uma delícia essa junção, e seu primeiro álbum, contendo treze faixas inéditas, foi lançado no fim do ano, tendo seu lançamento internacional somente no ano seguinte, em 2003. O disco logo foi consagrado um sucesso da música popular brasileira, alcançando a primeira posição nas paradas musicais e um disco de diamante pela venda de 1,5 milhão de cópias somente no Brasil, sem divulgação e entrevistas cedidas pelos integrantes.
Agora, em 2017, esses talentosos amigos, se juntam de novo e compõem novas canções, que resultou no segundo álbum dos Tribalistas. Uma obra incrível, que é agradável aos ouvidos e nos traz muita reflexão. Eu, particularmente, como fã dos três integrantes, sou suspeita...adorei!

Bora curtir o novo trabalho do grupo:


2002

2017

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Roupa Nova


Meu coração pulou
Você chegou, me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: que bom
Parece, enfim acordei

Prá renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim, sem me avisar
Prá acelerar um coração
Que já bate pouco
De tanto procurar por outro
Anda cansado
Mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais

Você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal
Me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual

De repente
Você surgiu na minha frente
Luz cintilante
Estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
Você me conquistou

Me olha
Me toca
Me faz sentir
Que é hora, agora
Da gente ir.


Como falar em MPB e não pensar logo  em "Roupa Nova"? 
Eles embalaram gerações dos anos 80 até hoje. Quem não ouviu, cantou, se emocionou, amou ao som desse grupo maravilhoso? Pra mim em especial, me emociono até hoje ouvindo "Frisson", "Dona" e "Bem Simples (Eu pensei te dizer tanta coisa. Mas, pra que, se eu tenho a música?".
A banda surgiu em 1980, formada por Paulinho (percussão e vocal), Serginho (bateria, voz e vocal), Nando (baixo, voz e vocal), Kiko (guitarra, violões e vocal), Cleberson Horsth (teclados e vocal) e Ricardo Feghali. Surgiu devido mudanças ocorridas após 1978 no grupo chamado Os Famks, e desde aí mantém até hoje a formação. São os atuais recordistas em trilhas sonoras de novelas (32 temas no total), sendo "Videogame" a trilha sonora do extinto Jornal da Manchete. Estrearam seu selo próprio em 2004, o "Roupa Nova Music". O mais importante é que depois desses mais de 30 anos, a banda está em plena atividade.

Vamos nos deliciar com alguns sucessos deles:

A Forca do Amor
A Lenda- (ft Sandy e Júnior)

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Lágrimas do Dragão



Por muito tempo até agora, Haviam segredos em minha mente
Por muito tempo até agora, Haviam coisas que eu deveria ter dito
Na escuridão, Eu estava cambaleando até a porta
Para encontrar uma razão, Para achar o tempo, o lugar, a hora

Esperando pelo sol de inverno e pela fria luz do dia
Os nebulosos fantasmas dos medos da infância
A pressão está se formando e eu não consigo me afastar.

Me jogo para dentro do mar
Libero a onda
Deixo ela me lavar

Para encarar o medo cheguei a acreditar que
As lágrimas do dragão eram pra mim e pra você

Onde eu estava, Eu tinha asas que não conseguiam voar
Onde eu estava, Eu tinha lágrimas que não podiam chorar
Minhas emoções, Congeladas num lago congelado
Eu não conseguia senti-las Até que o gelo começou a se quebrar
Eu não tenho poder sobre isso, Você sabe que eu estou com medo
As paredes que construí estão caindo em pedaços, A água está se movendo,
Estou sendo levado para longe

Me jogo para dentro do mar
Libero a onda, Deixo
Ela me lavar
Para encarar o medo cheguei a acreditar que
As lágrimas do dragão eram pra mim e pra você

Lentamente eu acordo, Lentamente me levanto
As paredes que construí estão caindo em pedaços
A água está se movendo,
Estou sendo levado para longe.

Me jogo para dentro do mar
Libero a onda, Deixo
Ela me lavar
Para encarar o medo cheguei a acreditar que
As lágrimas do dragão eram pra mim e pra você


Ladrões de Vinil



Não tenho mais dinheiro
Estou desempregado
O seguro desemprego acabou o mês passado
Eu quase passo fome
Se não fosse meus chegados
Do FGTS não sobrou um cruzado

Agora não sei mais o que fazer
Até minha mulher me deixou
Levou o meu dinheiro
Os meus sapatos
Roubou todo o meu amor

Agora não sei mais o meu destino
A onde ir, ´pra onde vou
Andando por aí chutando latas
tropeço na minha dor

━━━━━━━ •♬• ━━━━━━━

A banda Ladrões de Vinil, originária da cidade de Vitória da Conquista-BA,  surgiu em 2006, com o propósito de fazer um som remetendo ao Rock’n’roll, Rockabilly, Jovem Guarda, Rock instrumental e Surf Music. Contando com: Loro guitarra e vocal, Dieguinho no baixo e Ed Goma na bateria fazem do palco uma grande festa com um show performático e divertido cheio de energia e animação. 
A Ladrões de Vinil já se apresentou em vários festivais importantes pelo país, tais como: Festival Big Bands em Salvador(BA), Feira Noise Festival em Feira de Santana (BA) Grito Rock América do Sul em Montes Claros(MG) e em Vitória da Conquista(BA), Festival de Inverno Bahia, FESTUESB ” Festival universitário de música, onde a banda foi premiada duas vezes como “Melhor intérprete”, com a música “Formas” no ano de 2008 e com a música “Invisível” em 2010, além do Rock Cordel, Festival da Juventude, Natal da Cidade, Circuito Motiva entre outros.
Ganhando cada vez mais espaço no cenário alternativo com suas canções e performances, que com certeza impressionam o público e por onde passam conseguem mostrar com simplicidade, carisma e talento a essência do que é o verdadeiro bom e velho rock 'n roll. Sem deixar ninguém parado!
Enfim, os manos tão mandando bem e vale a pena conferir.

Bora curtir abaixo o som bacana:

01-A Fuga dos Bandoleiros
13-O Misterioso Roubo dos Vinis

━━━━━━━ •♬• ━━━━━━━